‘Operação Pegasus’ desarticula organização criminosa que movimentava cerca de R$ 348 milhões

‘Operação Pegasus’ desarticula organização criminosa que movimentava cerca de R$ 348 milhões


Brasão Nacional PCSP Moldura.pngA Polícia Civil de São Paulo, em conjunto com a Polícia Civil do Rio Grande do Sul, deflagrou, na quarta-feira (22), a operação “Pegasus” contra uma organização criminosa que praticava lavagem de dinheiro de proventos oriundos do tráfico de drogas gaúcho e de seus associados, distribuidores estaduais e nacionais.  

Foram cumpridos mandados de prisão e de busca e apreensão nas cidades de Franco da Rocha, Francisco Morato e São Paulo. Três pessoas foram capturadas. 

A investigação, que durou um ano, apurou que duas facções gaúchas, com lideranças na zona leste da Capital e da grande Porto Alegre, estavam associadas a uma grande facção paulista, para a distribuição maciça de cocaína e maconha em solo gaúcho, bem como integravam uma rede nacional de lavagem de dinheiro do narcotráfico interestadual. 

A investigação apontou a existência de células interligadas em 10 estados (e outros sob investigação), todas ligadas a um polo de operadores financeiros – pessoas físicas e jurídicas no estado de São Paulo, alvo de mandados e prisões no dia de hoje, com indícios de ligação ao alto escalão/sintonia fina. 

A organização criminosa investigada movimentou, em um ano, quase 348 milhões de reais.  

Foram apreendidos telefones celulares e documentação de contas bancárias, de modo a desarticular um tentáculo desta organização criminosa. 

Participaram da ação policiais do Setor de Investigações Gerais (SIG), do Grupo de Operações Especiais (GOE) e do Centro de Inteligência Policial (CIP), todos pertencentes à Delegacia Seccional de Polícia de Franco da Rocha (Demacro), assim como policiais do Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico do Rio Grande do Sul (Denarc). 

Infoco Web

Infoco Web

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.