Como é a rede de carga para carros elétricos da Shell? Ouça no podcast

Como é a rede de carga para carros elétricos da Shell? Ouça no podcast


source
Carregador da Shell é inaugurado na Av. Professor Celestino Bourroul, 34, na Zona Norte da capita paulista
Divulgação

Carregador da Shell é inaugurado na Av. Professor Celestino Bourroul, 34, na Zona Norte da capita paulista

A Raízen inicia seu ‘Programa de Eletromobilidade’  ao  inaugurar o seu primeiro eletroposto, na Zona Norte de SP.  Esse é o primeiro entre 35 eletropostos de recarga rápida que a empresa pretende lançar até o final do ano. Todos com capacidade de recarregar os carros elétricos em até 35 minutos, segundo a licenciada da Shell.

Os custos variam entre R$ 1,60 até R$ 1,90 o valor do kwh, ou, mais ou menos, R$ 50 pela carga completa. Por conta da forte relação da Raízen com outras empresas — como por exemplo, a Tupinambá , de carregadores, ou até mesmo as fabricantes de automóveis — a consolidação desses pontos promete beneficiar muito o consumidor e as empresas que já fazem uso dos EVs.

Não só no sentido da disponibilidade, mas também por conta de que eles são carregadores rápidos (ao contrário dos outros, que já operam em shoppings, supermercados e outros lugares).

Outro aspecto muito importante é a questão da qualidade e da periodicidade da manutenção. Será mais difícil de encontrarmos carregadores inoperantes nos postos de combustível , quando comparamos com outros locais que podem não contar com uma fiscalização tão regular sobre os aparelhos.

Para conseguirmos entender ainda mais sobre o assunto e o que está envolvido no projeto de implementação de carregadores nos postos de combustível, conversamos com Rafael Rabello, diretor de soluções de energia renováveis da Raízen. Ouça na íntegra a seguir.

O diretor citou alguns dos locais onde esses próximos carregadores serão instalados.  Serão alguns pontos no ABC (um deles, próximo à fábrica da VW , na Rodovia Anchieta, em São Bernando do Campo, SP). Haverá também pontos em outras rodovias, como na Ayrton Senna, na Dutra, Régis Bittencourt, entre outras.

“Nós baseamos os nossos investimentos nos estudos que apontam que, até 2030, 5,5% da frota será eletrificada. Essas projeções colocam o Brasil como um país vanguardista nessa implementação e na sua expansão do uso de energias renováveis. As parcerias com os vários agentes da cadeia de eletrificação são essenciais para acelerarmos o processo de eletrificação ”, afirma o executivo.

Conforme apuramos com o diretor de soluções de energia renováveis, Rafael Rabello, os carregadores serão 10% mais rápidos do que o Wall Box . E podem carregar modelos de plugues dos padrões CSS1, CSS2 e CHAdeMo.

A Raízen está focada nas parcerias com empresas do setor de carregadores, de mobilidade e fabricantes
Divulgação

A Raízen está focada nas parcerias com empresas do setor de carregadores, de mobilidade e fabricantes

“O recente investimento na Tupinambá se deve ao fato de que eles são referência na experiência para o consumidor em abastecimento (recarga) de veículos elétricos . Enxergamos que o software da Tupinambá é essencial para que possamos disponibilizar a nossa rede de recarga, algo que também ocorre no sentido inverso”.

“A integração dos desenvolvimentos das plataformas de ambas as empresas fará com que os donos de carros elétrico s tenham tudo o que precisarem”, complementa Rafael.

Os clientes que recarregarem seus veículos elétricos nas estações podem fazer o pagamento por  meio do cadastro de um cartão de crédito no app  Tupinambá , que já está disponível para download na Apple Store e Play Store. Assim, o cliente pode consultar se o carregador já está em uso, além da possibilidade de agendar uma recarga para o carro.

Fonte: IG CARROS

Infoco Web

Infoco Web

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.