“Mesmo sem ninguém reagir esses vagabundos a mataram ”, diz tia da jovem que perdeu a vida em latrocínio de Itanhaém

“Mesmo sem ninguém reagir esses vagabundos a mataram ”, diz tia da jovem que perdeu a vida em latrocínio de Itanhaém

Imagem: Reprodução/TV Tribuna

https://youtube.com/watch?v=F2vdNR-uvaE%3Fenablejsapi%3D1%26feature%3Doembed%26wmode%3Dopaque%26vq%3Dhd720%26autoplay%3D1%26controls%3D0

A tia da adolescente de São Bernardo do Campo, que perdeu a vida durante o latrocínio de Itanhaém, falou com a TV Tribuna e o Portal G1 e contou sobre a conversa que teve com sua irmã Gisele Amaral Costa, que ainda está no hospital. 

A tia da jovem relatou em entrevista que a irmã afirmou que não houve reação de nenhuma das vítimas e que fizeram tudo o que os criminosos pediram.

Segundo relatos da mãe das jovens, por volta das 19h da última sexta-feira (27), a filha mais velha, que perdeu a vida, escutou um barulho do lado de fora da casa, onde sua irmã de 12 anos estava lavando o carro e foi checar. 

No momento em chegou até a irmã a adolescente também foi abordada pelos dois criminosos, que levaram as meninas para dentro da residência onde estava a mãe assistindo TV e o pedreiro tomando banho.  

Imagens de câmeras de segurança mostrando os dois criminosos em direção a residência que a família estava – Imagem: Reprodução

“Nisso, ela (mãe das meninas) pediu que ele tivesse calma e ele perguntou quem estava na casa, e disse que se ela não falasse todos iriam morrer. Minha irmã explicou que só estavam elas e o pedreiro, que tomava banho naquele momento”, conta a tia.

Depois disso, os homens foram até o banheiro e tiraram Geosaldo Cesário Monteiro, de 44 anos, de lá e o colocou na sala com a família para fazer transferências via Pix com os celulares das vítimas. 

Depois disso, a mulher conta que o pedreiro foi amarrado com uma extensão e mãe e filhas foram colocadas no banheiro. “Ele perguntou o que tinha no quarto da minha irmã e levou as três para lá, colocando elas no banheiro e o pedreiro no quarto”, conta a tia das jovens. 

Neste momento, um dos criminosos começou andar pela casa e levar itens do lugar para a garagem, enquanto outro ficou vigiando os reféns. A irmã de Gisele conta que depois de um tempo o assaltante pegou a arma do parceiro e atirou, sem nenhum motivo em sua irmã. Os tiros acertaram o pulso, a mão e o rosto da dona de casa. Depois, disparou contra a cabeça das adolescentes e do pedreiro.

Isabelle Amaral – Imagem: Reprodução/Instagram

“Depois dos tiros, minha irmã ouviu a filha mais nova chorar, porque a mais velha já não falava nada, Então, minha irmã disse: ‘filha vamos fingir que a gente tá morta para eles irem embora’. Minha sobrinha ficou quieta, mas ele já tinha escutado uma voz e voltou dizendo: ‘você ainda está viva’, pegou a arma e mirou na testa dela, apertou de novo, mas não tinha mais bala. Nessa hora, minha irmã conseguiu empurrar ele e fechar a porta do banheiro, gritando por socorro”, relata a irmã da vítima.

Com medo de não ter tempo de salvar a filha, a tia relata que a irmã e a sobrinha mais nova pularam a janela para pedir ajuda para Isabelle que já estava desacordada. A mais nova desmaiou assim que saiu da casa.

Vizinhos ajudaram a mulher e logo todos foram socorridos, mas Isabelle e o pedreiro Geosaldo, não resistiram e faleceram no hospital. 

“O cara [que atirou] é um louco, psicopata, não pode sair impune, ele estava de saidinha e temos que implorar para a Justiça para isso não acontecer. Se eles estivessem presos, minha família estava em paz e feliz. Só pedimos justiça e que nossas leis mudem, que eles nunca saíam da cadeia. Porque ninguém reagiu em nenhum momento e mesmo assim o atirador foi frio. Estamos vivendo um pesadelo”, desabafa a mulher.

Na mesma noite do crime, a polícia militar prendeu 5 suspeitos de terem participado do crime. Entre eles, um adolescente de 16 anos. Na delegacia, um dos detidos, de 22 anos, confessou ser o autor dos disparos. Os demais presos confessaram que também estavam envolvidos no crime. 

Com eles foi encontrado o carro roubado e a arma calibre 38 usada na sexta-feira (27). O assassino das vítimas, também foi identificado como foragido da Justiça de Campinas. 

Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), a ocorrência foi registrada pelo 3º DP da cidade como latrocínio, ato infracional pelo mesmo crime, tentativa de roubo, captura de procurado, apreensão de adolescente e corrupção de menor.

FONTE . VIVA ABC

Roberto Torrecilhas

Roberto Torrecilhas

Diretor do Jornal Digital do Brasil , Líder Cristão , Casado , Pai , Apresentador do Programa Tamo Junto na TV Artes TV Cultura . Blogueiro , Atuante na defesa da Família, Jornalista.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *