Das ruas para o museu: arte de Bramante Buffoni é exposta na Casa Modernista

Das ruas para o museu: arte de Bramante Buffoni é exposta na Casa Modernista

Famoso por criar murais em prédios de São Paulo, artista italiano ganha retrospectiva sobre seus trabalhos na Itália em mostra gratuita 

Painel no Edifício Nobel (foto: Luccas Villela, 2021)

São Paulo, setembro de 2021 – O italiano Bramante Buffoni se tornou célebre por seus trabalhos em espaços públicos da capital paulista durante a década de 1950. Até hoje é difícil passar incólume por seu piso geométrico na Galeria do Rock ou por seus murais no Edifício Nobel da Avenida Higienópolis. Essa proeza só foi possível por sua formação na Itália, ocorrida entre os anos 1930 e 1950, que o colocou em evidência nos cenários artístico e industrial europeus.

Na exposição Buffoni – desenhos para a modernidade é possível conferir vinte fotografias dos trabalhos do artista realizados na Itália, reproduções de algumas de suas obras mais conhecidas e um vídeo homenageando os murais realizados nas ruas da capital paulista. A mostra com curadoria de Patrícia Freitas é gratuita e está em cartaz na Casa Modernista, uma das unidades do Museu Cidade de São Paulo. As visitas podem ser feitas entre terça e sexta, das 10h às 16h, e aos sábados e domingos, das 13h às 17h. Os trabalhos do artista serão expostos até 24 de abril de 2022.

Trajetória de sucesso

Ao desembarcar no Brasil em 1953, Bramante Buffoni rapidamente se destacou dentro do grupo de artistas, arquitetos e designers italianos responsáveis por repensar e embelezar a paisagem urbana de São Paulo. Mas, antes, em seu país de origem, ele já tinha conquistado notoriedade, realizando belos trabalhos ao lado de importantes nomes dos cenários artístico e publicitário de Milão, uma das cidades mais efervescentes da Itália.

Nascido em 1912, Buffoni tinha apenas 17 anos quando começou os estudos no Istituto Superiore per L’industrie Artistiche, que tinha grande relevância por instruir a partir de modelos pensados em escolas como a Bauhaus e o Werkbund, responsáveis por marcar profundamente o cenário das vanguardas europeias. Nesse momento, o artista se dedicou aos estudos de decoração pictórica e se destacou dos demais colegas nas aulas de figuras desenhadas.

Ao sair do instituto, em 1934, já havia garantido grandes projetos de design de interiores e era participante recorrente em importantes exposições nacionais de artes e de design italianas – alguns de seus trabalhos exibidos nesses eventos estarão presentes na Casa Modernista. Buffoni também abriu portas para importantes parcerias profissionais no setor industrial: tornou-se, ainda na década de 1930, artista-colaborador de empresas como Olivetti, conhecida por suas máquinas de escrever; e Pirelli, que atuava diretamente com produtos feitos a partir da borracha.

Após uma pausa nos trabalhos provocada pela II Guerra Mundial, o artista voltou a se destacar dentro de pavilhões e feiras de arte até o momento que tomou conhecimento do promissor cenário artístico e industrial de São Paulo. Ao desembarcar no Brasil já havia caído nas graças de uma forte rede de contatos de artistas e intelectuais da capital paulista. Entre os amigos mais próximos estavam Pietro e Lina Bo Bardi, responsáveis pela concepção do Museu de Arte de São Paulo (MASP). Na década de 1960, um de seus projetos desenhados para espaços públicos foi adquirido pelo Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (MAC-USP), integrando o acervo de artes plásticas da instituição. Buffoni faleceu em 1989.

Detalhes da exposição

Além de fotografias e reproduções, a mostra exibe as ilustrações que o artista realizou para revistas italianas durante a década de 1930 – deixando ainda mais evidente a pluralidade do trabalho de Buffoni. A exposição também traz um vídeo que registra seus melhores trabalhos expostos pela capital paulista.

Vale ressaltar que a Casa Modernista, localizada na Vila Mariana, é uma das 13 unidades do Museu Cidade de São Paulo, que tem como sede o Solar da Marquesa de Santos e inclui entre seus espaços de exibição a Casa da Imagem e a Chácara Lane. De forma geral, o museu trabalha com várias temáticas de áreas como arquitetura, história, antropologia e arqueologia.

SERVIÇO

Exposição: Buffoni – desenhos para modernidade (curadoria de Patrícia Freitas)

Data: 18/09/2021 até 24/04/2022

Horário: terça a sexta, das 10 às 16h; sábado e domingo, das 13h às 17h.

Local: Casa Modernista – Rua Santa Cruz, 325, Vila Mariana – São Paulo/SP

Gratuito

Educativo disponível

Classificação livre

Sobre o Museu da Cidade de São Paulo

Vinculado ao Departamento dos Museus Municipais da Secretaria Municipal da Cultura, o Museu da Cidade de São Paulo promove a reflexão contínua das dinâmicas de construção da cidade física e simbólica, retratando a sua diversidade cultural e registrando a memória de sua população. Sua estrutura física é formada por uma rede de casas históricas, construídas entre os séculos 17 e 20 e distribuídas nas várias regiões que representam remanescentes da ocupação da área rural e urbana de São Paulo. São elas: Beco do Pinto; Capela do Morumbi; Casa da Imagem; Casa do Butantã; Casa do Caxingui; Casa do Grito; Casa do Sítio da Ressaca; Casa do Tatuapé; Casa Modernista; Chácara Lane; Cripta Imperial; Sítio Morrinhos e Solar da Marquesa de Santos.

Informações para imprensa:

Agência Galo

Roberto Torrecilhas

Roberto Torrecilhas

Diretor do Jornal Digital do Brasil , Líder Cristão , Casado , Pai , Apresentador do Programa Tamo Junto na TV Artes TV Cultura . Blogueiro , Atuante na defesa da Família, Jornalista.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *