População deve cobrar de representantes postura ‘mais pacífica’ durante a pandemia, diz Girão

População deve cobrar de representantes postura ‘mais pacífica’ durante a pandemia, diz Girão


Em pronunciamento nesta quinta-feira (8), o senador Eduardo Girão (Podemos-CE) apelou à população que cobrem das autoridades uma “postura mais pacífica e de união no enfrentamento da pandemia”.

Segundo ele, alguns têm promovido um clima de “cabo de guerra” para antecipar o debate político-eleitoral que deveria ocorrer somente no próximo ano, quando haverá eleições presidenciais. Isso, a seu ver, ficaria evidente diante do pedido de criação da CPI da covid com foco de apuração apenas nas ações do Executivo federal.

Para Girão, não é justo investigar apenas o governo federal, quando os estados e municípios receberam bilhões de reais dos cofres da União para enfrentar a pandemia.

— Então, é muito importante, que essa CPI, se quiser fazer uma coisa justa e independente, que seja uma CPI que investigue fatos determinados — e tem aos montes, eu relacionei no meu pedido — com relação a estados, municípios e a União. Aí sim, aí a gente vai ter a verdade. Mas pegar apenas uma faceta, como querem fazer apenas da União, aí o objetivo é enfraquecer o governo, o objetivo é fazer com que a campanha política de 2022 seja antecipada para agora. E isso é uma covardia com o povo brasileiro, isso não é correto — declarou Girão.

Itamaraty

O senador também defendeu o ex-ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, que a seu ver teria sido atacado por razões políticas. Para Girão, o ex-chanceler sofreu “uma pressão absurda, uma humilhação pública e um espancamento moral” na audiência realizada no Senado para discutir o papel do Itamaraty no enfrentamento da pandemia de covid-19. No entendimento do senador, que criticou chanceleres de governos anteriores, Araújo foi atacado por ter uma visão de mundo distinta.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Infoco Web

Infoco Web

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *