Projeto inclui indígenas que vivem fora de aldeias entre prioridades de vacinação contra Covid-19

Projeto inclui indígenas que vivem fora de aldeias entre prioridades de vacinação contra Covid-19


Pablo Valadares/Câmara dos Deputados
Deputado José Ricardo está em pé discursando no Plenário da Câmara
Ricardo: morar na cidade não significa que os indígenas perderam a vulnerabilidade em relação

O Projeto de Lei 310/21 determina a  priorização dos indígenas que vivem fora das terras indígenas, em áreas urbanas ou rurais, no Plano Nacional de Imunização contra a Covid-19.

O plano de vacinação, divulgado em dezembro de 2020 pelo Ministério da Saúde, inclui entre as prioridades para a vacinação apenas os indígenas que vivem em aldeias.

Em análise na Câmara dos Deputados, o projeto acrescenta as medidas à Lei 14.021/20, referente ao Plano Emergencial de Enfrentamento à Pandemia destinado aos povos indígenas, quilombolas e demais povos tradicionais.

Segundo o deputado José Ricardo (PT-AM), autor da proposta, “o fato de residirem na cidade não faz os indígenas perderem a condição de vulneráveis no tocante à moléstia”.

Ele cita dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) que mostram que o número de indígenas no País totaliza 896 mil pessoas, sendo que 324 mil – ou 36,2% – vivem em zona urbana.

“No Amazonas, por exemplo, onde está concentrada a maior quantidade de indígenas do País – só na capital Manaus residem cerca de 20 mil indígenas -, não foi dada a devida atenção a essas pessoas, no atendimento de saúde do governo federal, por estarem fora das suas aldeias”, afirma o deputado amazonense.

Saiba mais sobre a tramitação de projetos de lei

Reportagem – Lara Haje
Edição – Natalia Doederlein

Infoco Web

Infoco Web

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *