CPFL Santa Cruz alerta sobre risco de acidentes com a rede elétrica em áreas rurais durante plantio e colheita

CPFL Santa Cruz alerta sobre risco de acidentes com a rede elétrica em áreas rurais durante plantio e colheita
Planejamento e atenção na execução das atividades agrícolas podem evitar choques e salvar vidas no campo;
distribuidora registrou um acidente fatal em 2019
Jaguariúna, 22 de outubro de 2020. Fonte de renda e de desenvolvimento socioeconômico, a agricultura está presente na vida de muitos municípios na área de atuação da CPFL Santa Cruz. O agronegócio emprega milhares de pessoas e envolve o uso de grandes máquinas na produção de laranja, milho, arroz, cana-de-açúcar, entre outras culturas. É justamente pela importância desta atividade econômica que a distribuidora compartilha dicas e alertas para que os trabalhos no campo sejam realizados com segurança, evitando acidentes com a rede elétrica.“Com a modernização do sistema de colheita, visando o aumento da produtividade, as máquinas estão maiores, e acabam tocando a rede ou os equipamentos que a sustentam. Por isso, é importante planejar todo o trabalho antes e fazer o reconhecimento do local, determinando tamanho das máquinas agrícolas e as distâncias seguras da rede elétrica”, diz o gerente de Saúde e Segurança do Trabalho da CPFL Energia, Marcos Victor Lopes.Um levantamento realizado pela Gerência de Saúde e Segurança do Trabalho da CPFL Santa Cruz mostra a importância deste tema. Entre 2018 e 2019, a concessionária registrou um acidente leve, dois graves e mais dois fatais envolvendo a execução de atividades agrícolas. No primeiro semestre de 2020, a companhia não registrou nenhum acidente do tipo.Os dados mais recentes do anuário da Abracopel – Associação Brasileira de Conscientização para os perigos da Eletricidade, mostram uma redução no número de mortes causadas por descargas elétricas recebidas durante trabalho no campo no país. Foram 25 registros em 2019 contra 30 no ano anterior.Cuidados necessários. Estes acidentes poderiam ser evitados se houvesse mais atenção e um planejamento mais adequado na realização das atividades agrícolas. As dimensões das máquinas usadas na colheita aumentam o risco de um contato acidental com os fios de energia. Muitas vezes, as plantações também ultrapassam os limites de segurança das faixas de servidão de linhas de transmissão e redes de distribuição, contribuindo para os riscos de acidentes elétricos.As faixas de servidão servem como proteção e segurança entre as culturas e a rede elétrica. Essas faixas resguardam tanto o sistema elétrico como os trabalhadores rurais, que muitas vezes precisam operar máquinas de grande porte próximas aos equipamentos do sistema elétrico. Conforme determina a Norma Técnica NBR 5422 – Projeto de linhas aéreas de transmissão de energia elétrica, da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), as faixas de servidão e segurança têm a largura mínima de 20 metros para as linhas de 34,5 kV de tensão e a largura mínima de 30 metros, para as linhas de 69, 88 e 138 kV.Os períodos mais críticos são o da colheita e da preparação do solo, quando são utilizadas máquinas de grande porte e são feitas as queimadas. Nessas épocas, os agricultores devem redobrar os cuidados com as redes de energia, planejando as atividades previamente para evitar os acidentes. Visitar as áreas onde os trabalhos serão efetivados realizados (observando os locais onde existe rede e dimensionando as máquinas para a cumprimento de determinado serviço) é um exercício importante para a prevenção de acidentes.Mais segurança. Consciente da importância em manter um trabalho permanente de orientação para a população, a CPFL Santa Cruz realiza a campanha de segurança “Guardião da Vida” que, além de dicas e conselhos para a população em geral e trabalhadores dos centros urbanos, traz também informações sobre os cuidados que os trabalhadores rurais devem ter, quando desenvolverem atividades próximos das redes elétricas (imagem acima). Confira abaixo as dicas para prevenir e evitar acidentes no campo:1. Planeje os trabalhos e observe se a altura e largura da máquina ou equipamento manterão distância segura da rede elétrica;2. Caso os fios da rede estejam próximos, não se aproxime ou toque neles.3. Ao manusear as máquinas agrícolas, desvie dos estais (cabos de aço que prendem os postes ao chão);4. Ao manobrar veículos ou equipamentos, carga e descarga de caminhões, mantenha a distância mínima de cinco metros de qualquer tipo de estrutura elétrica;5. Caso o veículo venha a encostar na rede elétrica, o motorista jamais deve tentar sair do maquinário. Neste caso, deve-se chamar imediatamente a distribuidora, que desligará o fornecimento antes de resgatar o condutor;6. Nunca estacione máquinas agrícolas debaixo da rede elétrica;7. Cuidado para não tocar na rede elétrica quando subir em uma árvore para colher frutas ou para realizar uma poda;8. Tenha cuidado com os equipamentos de irrigação. Não deixe o jato de água dos irrigadores atingir os fios elétricos;9. Nunca se aproximar ou tocar em cabos elétricos caídos no chão. Se encontrar um fio elétrico caído, o mais adequado é sinalizar a área para que ninguém se aproxime e avisar imediatamente a distribuidora de energia;10. Não faça queimadas perto das linhas de transmissão ou de distribuição. Na estiagem, a pouca umidade, a vegetação baixa e os ventos fortes são fatores que podem provocar incêndios. Por isso, até mesmo uma queimada mal controlada para atividades agrícolas também pode colocar em risco o fornecimento de energia, atingindo os cabos elétricos, desligando a rede e provocando prejuízos para os todos, além de danos ao meio ambiente e à segurança da população.O calor do fogo, mesmo quando não atinge diretamente os cabos elétricos, junto da fuligem levada pelo vento e grandes volumes de fumaça, também pode provocar curtos-circuitos ou rompimento de cabos, interrompendo o abastecimento de cidades inteiras. O ar quente gerado pode criar um campo ionizado, propiciando o fechamento de arcos elétricos* que desligam as linhas de eletricidade.*O arco elétrico, também conhecido como arco voltaico, é uma grande quantidade de carga elétrica movimentando através do ar com alta velocidade (cerca de 100m/s) e elevadas temperaturas. Os arcos podem causar destruição dos equipamentos (chave, painéis, barramentos, condutores etc.) e ainda causar graves lesões físicas em pessoas que ficarem próximas.Em caso de acidente com a rede elétrica, entre em contato imediatamente com os órgaõs de emergência por meio do número 192. Se for por falta de energia, ou de incêndio sob a rede elétrica, a população deve entrar em contato com os canais de atendimento da CPFL Santa Cruz:Web mobile: www.cpfl.com.br (acesso via smartphone).App “CPFL Energia”, disponível para smartphones Android ou iOs.Agência Virtual: www.cpfl.com.br.SMS: enviar para 26805 (em casos de falta de energia, o cliente envia seu código de consumidor para este número e recebe também via SMS a previsão de restabelecimento).Call Center: 0800 772 2196 (ligação gratuita, 24 horas por dia). 
Sobre a CPFL Energia. A CPFL Energia, há 107 anos no setor elétrico, atua nos segmentos de distribuição, geração, comercialização e serviços. Desde janeiro de 2017, o Grupo faz parte da State Grid, estatal chinesa que é a quinta maior organização empresarial do mundo e a maior empresa de energia elétrica, atendendo 88% do território chinês e com operações na Itália, Austrália, Portugal, Filipinas e Hong Kong.Com 14% de participação, a CPFL Energia é uma das maiores empresas no mercado de distribuição, totalizando mais de 9,8 milhões de clientes em 696 cidades, entre os estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Paraná. Na comercialização, é uma das líderes no mercado livre, com participação de mercado de 4%. É líder na comercialização de energia incentivada para clientes livres entre as comercializadoras.Na geração, é a terceira maior agente privada do País, com um portfólio baseado em fontes limpas e renováveis, como grandes hidrelétricas, usinas eólicas, térmicas a biomassa, Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCH) e usina solar. Considerando a participação acionária na CPFL Renováveis (99,94%), maior empresa de geração da América Latina a partir de fontes alternativas de energia, a capacidade instalada do Grupo CPFL alcançou 4.304 MW, no final de setembro de 2019.A CPFL Energia possui ações listadas no Novo Mercado da B3. O Grupo também ocupa posição de destaque em arte e cultura, entre os maiores investidores brasileiros, por meio do Instituto CPFL.Mais informações para a imprensa:Assessoria de Imprensa CPFL Energia(19) 3756-8413/8492[email protected]
Jornal Digital do Brasil

Jornal Digital do Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *