Corpo de mulher que sumiu há 10 dias é achado enterrado no quintal do ex em SP

Corpo de mulher que sumiu há 10 dias é achado enterrado no quintal do ex em SP

Rosana Fernandes da Silva estava desaparecida desde o último dia 14, quando foi ao trabalho assinar os papéis das férias.

O corpo de uma mulher que desapareceu em Guarujá, no litoral de São Paulo, no último dia 14, foi encontrado enterrado na casa do ex-companheiro. As informações foram divulgadas pela polícia na manhã desta terça-feira (25). Familiares e amigos procuravam por Rosana Fernandes da Silva, de 32 anos, após ela sair para assinar os papéis das férias do trabalho, que fica no Centro da cidade.

O corpo de Rosana foi achado em avançado estado de decomposição enterrado no quintal da residência do ex-companheiro, localizado na rua Catagua, no bairro Jardim Virgínia. Após investigações da Delegacia Especializada Antissequestro, os policiais chegaram até um homem , pai dos filhos da vítima, que teria apresentado declarações contraditórias sobre o desaparecimento.

O homem, que acabou levantando várias suspeitas nos policiais, foi preso provisoriamente e, quando interrogado, confessou o crime. O homem disse à Polícia que matou Rosana com um tiro e, logo em seguida, a enterrou no quintal de sua residência para que o crime não fosse descoberto pelas autoridades. Os detalhes do crime ainda estão sendo apurados.

Após o suspeito falar a localização exata do cadáver de Rosana, o corpo foi encontrado e encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML). A Polícia Civil aguarda o laudo para determinar as causas da morte da mulher. A prisão do homem que confessou o crime deve ser convertida para provisória ainda nesta terça-feira. O caso segue sendo investigado

A auxiliar de limpeza geral desapareceu no último dia 14, após sair de casa para assinar os papéis das férias do serviço. Ela chegou a avisar a mãe que estaria voltando para casa por volta das 19h, mas nunca mais apareceu. Por ser apegada aos dois filhos pequenos, de 3 e 7 anos, amigos e familiares descartaram a hipótese de fuga ou desaparecimento proposital.

No dia seguinte ao seu desaparecimento, sua irmã recebeu uma ligação de um número desconhecido, de um homem que dizia estar com Rosana. A amiga de infância da mulher, Jeniffer Inacio, que também auxiliava a família com as buscas, afirmou que o homem da ligação disse que a desaparecida voltaria para casa no dia 17. Segundo o homem não identificado, ela teria saído para beber com ele e estaria “desacordada”.

Jeniffer chegou a acusar o homem de estar tentando fazer uma piada ou “ganhando tempo” para alguma atitude. “Eu conheço ela há 16 anos e ela nunca faria isso com os dois filhos”, disse. A família não chegou a conversar com Rosana durante esta ligação, do homem que supostamente estaria com a desaparecida. (Com informações de Juliana Steil/G1)

Jornal Digital do Brasil

Jornal Digital do Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *