“Fundão” Eleitoral. Quanto Jaguariúna vai pagar para os políticos?

“Fundão” Eleitoral. Quanto Jaguariúna vai pagar para os políticos?

Considerando o valor do fundão (R$ 2 bilhões), o número de eleitores no Brasil (149 milhões) e o número de eleitores em Jaguariúna na última eleição municipal (27.916), chegamos em uma “pequena” conta de R$ 374.411,40!

Justo? Obviamente que não. Imagine o que daria para fazer se essa verba fosse repassada para nosso município?

O que daria para fazer com RS 374.000,00:
• Asfaltar cerca de 4200 metros de acordo com ultimo repasse financeiro da prefeitura para asfaltar 3 vias públicas no diário de imprensa oficial nº 468, na Quinta Feira, 21 de maio de 2020.
• Comprar cerca de 9 respiradores pulmonares de acordo com a nota de empenho 5475-2020 da prefeitura municipal de Jaguariúna.
• Construir cerca de 18 km de cercas para preservação ambiental de acordo com contrato 123/2019 da Prefeitura Municipal de Jaguariúna.
• Cerca de 50.000 testes rápidos para detecção de dengue, de acordo com o contrato 189/2019 da Prefeitura de Jaguariúna.

O fundão eleitoral é uma máquina de produzir e perpetuar maus políticos. Através dele, a velha política impulsiona seus candidatos prediletos nos municípios, os mesmos aparelham as prefeituras com cargos comissionados, os quais farão campanha para o deputado x, senador x, presidente x e governador x reelegerem- se nas eleições nacionais e consequentemente o ciclo retorna para as eleições municipais, ou seja, quem está ligado ao político de Brasília influente dentro de determinado partido político, continua se reelegendo. Tudo isso, quem paga é o cidadão, que recebe péssimos serviços públicos.

As eleições de 2018 nos deram a oportunidade de votarmos em candidaturas, optantes por não usar dinheiro público em suas campanhas políticas. Como eleitores constatamos a real possibilidade de disputar- se uma eleição, apenas com recursos de doadores, isso é, aquelas pessoas cujas quais acreditam, nas ideias e nas bandeiras defendidas pelo respectivo candidato.

Para aqueles que gostam de acompanhar séries no Netflix e viram a obra “O Mecanismo”, visualizaram o ciclo de corrupção produzido pelos maus políticos com dinheiro de impostos. Como cidadãos de bem, conscientes e agentes de transformação, escolher não votar em políticos que usarão dinheiro, tal qual poderia ser investido em saúde, educação, segurança e infra- estrutura, é um grande feito pelo bem dos pagadores de impostos, ou seja, nós.

A mudança que esperamos em nossas cidades, não virá dos políticos que nós já temos, principalmente daqueles que usam dinheiro público em campanhas políticas e apoiaram candidaturas em 2018, que usufruíram desse privilégio, enquanto milhares de cidadãos brasileiros sofrem com o alto desemprego.

Ton Proêncio

Ton Proêncio

Administrador formado pelo Centro Universitário de Jaguariúna - UniFAJ, especializando em Economia Financeira pela Unicamp e aficionado ao Empreendedorismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *