Corpo de jovem desaparecida é encontrado e presidiário solto durante pandemia confessa crime

Corpo de jovem desaparecida é encontrado e presidiário solto durante pandemia confessa crime

Polícia Civil de Poços de Caldas (MG) esclareceu em entrevista coletiva nesta quinta-feira (23) os fatos apurados durante as investigações de estupro e morte de uma jovem de 18 anos. Presidiário confessou crimes.

O corpo da jovem Jenifer Hugo, de 18 anos, desaparecida desde o início do mês, foi encontrado na manhã desta quinta-feira (23) em Poços de Caldas. Em coletiva de imprensa, a Polícia Civil esclareceu fatos sobre as investigações. De acordo com a polícia, um presidiário de 35 anos confessou ter matado e estuprado a vítima.

Ele estava solto devido a liberdade provisória obtida junto ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em razão da pandemia do novo coronavírus. A ficha criminal dele agora contabiliza cinco casos de estupro.

Segundo a Polícia Civil, as investigações para encontrar o autor do crime começaram desde o dia 4 de abril, com o registro de desaparecimento de Jenifer Hugo.

O delegado da Polícia Civil Cleyson Rodrigo Brene explicou na coletiva que chegou ao suspeito por ele ter sido preso no dia 16 de abril após tentativa de estupro ocorrida próximo ao local do desaparecimento da jovem. Com isso, policiais foram até o presídio de Botelhos, onde o homem confessou o crime.

Ainda de acordo com o delegado, o presidiário afirmou que utilizou o cabo de celular da própria vítima para estrangulá-la.

O delegado salientou que o homem agora segue preso preventivamente pelo crime de tentativa de estupro, ocorrido no dia 16 de abril, que o levou novamente à prisão. Em relação à morte da jovem de 18 anos, ele deve responder pelos crimes de estupro, homicídio, ocultação de cadáver e furto. O crime pode ser enquadrado como latrocínio.

Jornal Digital do Brasil

Jornal Digital do Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *