Polícia de SP faz 32 prisões por venda de produtos adulterados

Polícia de SP faz 32 prisões por venda de produtos adulterados

Polícia Militar emite mensagens sonoras, por meio das viaturas, para alertar a população sobre a covid-19.

Na última semana, as polícias Civil e Militar de São Paulo detiveram em flagrante ao menos 32 pessoas suspeitas de venderem medicamentos e/ou álcool gel adulterados, na promessa de combater o novo coronavírus.

Desde segunda-feira (23), a PM emite mensagens sonoras, por meio das viaturas, para alertar a população sobre a covid-19. São alertas que informam a importância do isolamento social, além de outras medidas de prevenção.

Farmacêutico se passava por médico

No dia 18 de março, a Polícia Civil prendeu um farmacêutico que se passava por médico e oferecia remédio contra a covid-19. A ação aconteceu em Álvares Machado, onde foram apreendidos jaleco, mural, fórmulas matemáticas e diversos frascos, etiquetas e embalagens.

Em Franca, cidade do interior do estado, uma família foi vítima de um golpe relacionado ao coronavírus, no último final de semana. Os criminosos, que ainda não foram identificados, entraram em contato com as vítimas para oferecer um teste para o novo vírus, mas pediram R$ 4,9 mil como pagamento, e a família depositou o dinheiro.

120 frascos de álcool gel

Policiais civis prenderam um homem e apreenderam 120 frascos de álcool gel embalados e prontos para a venda, dentro de uma casa no bairro Cidade Ipava, na zona sul da capital. Mais tarde, outra equipe policial localizou mais uma fábrica clandestina do produto no Jardim Imperador, na zona leste da capital. Um homem foi abordado no local indicado por meio de uma denúncia e admitiu informalmente que misturava etanol com gel de cabelo.

O produto era embalado em frascos para venda. Ontem, na capital, duas pessoas foram presas com 104 frascos de álcool gel adulterados. Também foram apreendidas embalagens com cloro e água sanitária, segundo a SSP (Secretaria da Segurança Pública).

300 embalagens

Em três ações distintas no dia 19, as polícias Civil e Militar recolheram mais de 300 embalagens de substâncias semelhantes a álcool gel que eram comercializadas de forma irregular. Outros objetos relacionados também foram recolhidos, segundo a SSP. As apreensões aconteceram no centro da capital.

No ABC Paulista

Em Santo André, a Polícia Civil apreendeu diversos frascos sem rótulos e galões com álcool gel em uma fábrica clandestina. Um homem foi detido no local. Em São Bernardo do Campo, um homem e uma mulher foram detidos com 158 frascos de álcool gel, que estavam com rótulo sem indicação obrigatória e erros ortográficos. Além disso, o CNPJ da empresa constava como não existente.

No interior de SP

Na cidade de Nova Odessa, outra fábrica clandestina foi encontrada. Oito pessoas foram presas, e mais de 2 mil litros de álcool, apreendidos. Já em Sumaré, um químico foi preso em um barracão que fabricava álcool clandestinamente. Foram apreendidos 250 galões e 1 mil litros da substância.

No domingo (22), a Policia Militar descobriu uma chácara onde era embalado álcool gel para ser comercializado, na estrada que liga Mirassol a Ruilândia. Lá, dois homens foram detidos, e mais de 3 mil embalagens e quatro tambores com a substância, possivelmente adulterada, foram apreendidos. 

Durante uma ação preventiva na cidade de Hortolândia, a Polícia Militar prendeu um homem e recuperou, no último sábado (21), um caminhão carregado com álcool gel — o material foi avaliado em R$ 47 mil. O flagrante aconteceu próximo ao km 108 da Rodovia dos Bandeirantes.

Jornal Digital do Brasil

Jornal Digital do Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *