Jovem é achado morto após furtar sorvetes em loja no interior de SP

Jovem é achado morto após furtar sorvetes em loja no interior de SP

Segundo a investigação, dono do estabelecimento invadido pelo rapaz de 20 anos é o principal suspeito do crime; comerciante está foragido.

O jovem de 20 anos que foi achado morto a tiros na madrugada desta quarta-feira (25) nas proximidades do viaduto da avenida Duque de Caxias sobre a avenida Nações Unidas, no Jardim Brasil, em Bauru (SP), foi assassinado após furtar sorvetes de uma loja. 

Segundo a Polícia Civil, a vítima é o morador de rua João Victor Garcia da Silva, de 20 anos. O corpo dele foi achado com pelo menos dois tiros na região da nuca e das costas. Ao lado do corpo, os policiais militares que atenderam a ocorrência encontraram uma mochila e três caixas de picolé ainda gelados.

Conforme o delegado Cledson Nascimento, titular da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), o principal suspeito é o dono de um estabelecimento comercial, de 46 anos, que teve prisão temporária decretada e está foragido.

Segundo o relato de uma testemunha, o jovem caminhava pela quadra 2 da rua Joaquim Fidélis por volta de 1h20 da madrugada desta quarta-feira, quando uma caminhonete cabine dupla encostou a seu lado e de dentro do veículo partiram quatro disparos. Em seguida, o veículo fugiu do local do crime em alta velocidade.

Segundo o delegado, a DIG chegou ao suspeito após a informação de que nas proximidades do Parque Vitória Régia, que fica próximo ao local do crime, um estabelecimento estava com alarme disparado e a porta de vidro da frente quebrada. Os policiais perceberam que o freezer da loja tinha a mesma marca dos sorvetes encontrados junto ao corpo da vítima.

Imagens do circuito de segurança da loja mostraram que o comerciante que é dono do estabelecimento foi ao local assim que o alarme disparou e saiu de caminhonete em seguida na procura pelo autor do furto dos sorvetes. Nascimento explica que os policiais foram à casa do comerciante, mas encontraram apenas a caminhonete usada no crime.

Em contato com o suspeito, ele afirmou que se entregaria com seu advogado. Como ele não apareceu, a Justiça aceitou o pedido de prisão temporária do suspeito feito pela polícia. Caso ele não se apresente, será considerado foragido.

O comerciante possui um indiciamento no ano de 2014, por violência doméstica, que foi arquivado. Já o rapaz que foi morto havia sido liberado no último dia 15 em audiência de custódia após ser preso por furto de uma loja de conveniência também na avenida Nações Unidas. Ele tinha outros antecedentes por furto e sua família reside na zona rural de Piratininga.

Jornal Digital do Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *