CRIME CRUEL – Corpo de bebê desaparecido é encontrado em poço e pais confessam assassinato.

Fonte RedeTV!

Casal já havia sido denunciado por maus-tratos e chegou a perdeu a guarda da filha, mas Justiça devolveu a criança


Carrinho do bebê foi encontrado do Rio Sereno— (Foto: Divulgação/Polícia Civil-MT)

O corpo de uma bebê de 6 meses foi encontrado dentro de um poço em Tabaporã, a 660 km de Cuiabá (MT), no fim da noite desta quinta-feira (10). Segundo a Polícia Civil, o local foi indicado pelos próprios pais da vítima, após confessarem terem matado a menina.

A criança, desaparecida desde dezembro, foi resgatada pelos bombeiros, que procuravam o corpo no Rio Sereno desde quarta-feira (8). 

O bebê foi achado após os pais indicarem o local onde esconderam o corpo e confessarem os crimes de homicídio, ocultação de cádaver e fuga. De acordo a polícia, eles haviam fugido da cidade após testemunhas terem notada a ausência da menina. O casal foi capturado pela polícia em Jataí, no interior de Goiás. Ambos foram presos.


Mergulhadores do Corpo de Bombeiros fizeram buscas — (Foto: Drielkson Ribeiro/Corpo de Bombeiros)

Morte e desaparecimento

O crime teria acontecido no dia 27 de dezembro. Segundo testemunhas, o casal foi visto perto do Rio Sereno com um carrinho de bebê. Algum tempo depois, eles foram avistados sozinhos e com mochilas, sem a criança, pedindo carona na estrada.

A equipe da Polícia Civil de Tabaporã recebeu denúncias de que a casa onde a família morava estava abandonada. As investigações começaram com a identificação das testemunhas que deram seus relatos sobre o caso.

Após a prisão dos pais da menina, mergulhadores do Corpo de Bombeiros começaram as buscas no Rio Sereno na quarta (9). o carrinho da criança foi encontrado às margens do local.

Reincidência

Segundo o Conselho Tutelar, o casal já chegou a perder a guarda da filha após denúncia de maus-tratos. A bebê morava com a família em Tabaporã mas, segundo o órgão, morou em um abrigo da cidade aos 3 meses de vida.

Entretanto, os pais entraram na Justiça e recuperaram a guarda da filha. De acordo com o Conselho, visitas periódicas na casa da família era feitas.

Também na quarta-feira, mesmo dia em que as buscas pelo corpo do bebê começaram, o Conselho recebeu uma denúncia de uma testemunha anônima que afirmava que o pai solicitou a uma pessoa que ateasse fogo nas coisas da criança. 


(Foto: Drielkson Ribeiro/Corpo de Bombeiros)


(Foto: Drielkson Ribeiro/Corpo de Bombeiros)

Jornal Digital do Brasil

Jornal Digital do Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *