Sala Advogado José Adriano Marrey Júnior recebe acervo raro do TJSP

Sala Advogado José Adriano Marrey Júnior recebe acervo raro do TJSP

Espaço está aberto à visitação.

 

        O Tribunal de Justiça de São Paulo finalizou o restauro da “Sala Advogado José Adriano Marrey Júnior”, localizada no quarto andar do edifício. O espaço histórico, onde até a década de 1980 funcionou o 2º Tribunal do Júri de São Paulo, passa a ser destinado à exposição de acervo raro da Corte bandeirante, com curadoria do Museu da instituição, e a eventos do TJSP, conforme disposto da Portaria nº 9.785/19.

        Nos primeiros anos do Palácio da Justiça, inaugurado em 1933, a sala abrigou as Câmaras Comerciais, que funcionaram no período de 1934 a 1960, conforme registro da obra Justiça de São Paulo: entre história e futuro, lançado pelo TJSP em 2017, que teve como base registros dos desembargadores Justino Magno Araújo, Emeric Lévay e Alexandre Moreira Germano.  Com o encerramento das atividades das Câmaras, o salão passou a funcionar, de 1965 até 1982, como o 2º Tribunal do Júri da Capital. O primeiro julgamento realizado no local foi o caso “Dona Benta”, em que Olinto Rodrigues de Moraes (cozinheiro da Casa de Detenção, daí sua alcunha) sentou no banco dos réus. Após a transferência do Segundo Tribunal do Júri para um imóvel na Vila Mariana, a sala passou a abrigar, em 1984, a biblioteca do TJSP, que hoje está no edifício Gade MMDC e se chama “Biblioteca Desembargador Marcos Nogueira Garcez”.

        Entre os objetos raros que fazem parte do acervo fixo do ambiente está a colher de pedreiro, utilizada no assentamento da pedra fundamental do Palácio da Justiça, que traz a inscrição “o Governador de São Paulo inaugura para o serviço da Justiça na terra Paulista as obras deste Palácio em 24 de fevereiro de 1920”. Também estão expostos documentos históricos, como um memorando manuscrito por Santos Dumont em 1901 e encaminhado ao Congresso do Estado de São Paulo, agradecendo o telegrama que lhe foi enviado por sua última experiência num balão dirigível; um título eleitoral do Império, datado de 1882; e o Livro de Juramento e Exercício de Desembargadores, primeiro livro de posse do segundo grau do Tribunal paulista (de 1874 a 1979). Consta, também, o primeiro processo protocolado no Segundo Tribunal do Júri, um crime de imprensa que tinha como partes Herbert Victor Levy, Eloy Dutra e Mário Wallace Simonsen.

        Após a reinauguração da sala, o presidente do TJSP, desembargador Manoel de Queiroz Pereira Calças, realizou visita guiada conduzida pelas servidoras Soraya Trentin Ribeiro Pinto e Helena Gentile de Camargo, da Diretoria de Relações Institucionais, e recebeu informações sobre a história do local. A Sala Advogado José Adriano Marrey Júnior é aberta à visitação de segunda a sexta-feira, das 12h30 às 19 horas, exceto quando utilizada para fins institucionais. As visitas monitoradas no TJSP são agendados pelo telefone (11) 3117-2596. 

 

        Comunicação Social – AA (texto) / AC (fotos)

        [email protected]

Fonte: TJ SP
Jornal Digital do Brasil

Jornal Digital do Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *