Prefeitura quer vender terrenos onde funcionam escolas municipais

Prefeitura quer vender terrenos onde funcionam escolas municipais
Prefeitura quer vender terrenos onde funcionam escolas municipais

Da assessoria do deputado Carlos Giannazi

Carlos Giannazi (PSOL) denunciou ao Grupo de Atuação Especial em Educação (Geduc) do Ministério Público estadual a pretensão do prefeito Bruno Covas de vender os terrenos onde se encontram importantes equipamentos públicos, como a Emei Gabriel Prestes, na rua da Consolação, e a Emef Maria Antonieta D”Alkimin Basto, na Vila Olímpia.

A autorização para a venda de 41 terrenos na cidade foi aprovada em 16/10 pela Câmara Municipal, apesar da resistência de 15 vereadores, entre eles Celso Giannazi (do PSOL). Inicialmente, o projeto de lei apresentado por Covas enumerava sete áreas para alienação. As outras 34 foram incluídas durante a votação, em texto substitutivo, o que não permitiu aos vereadores nem mesmo tomar ciência da localização dos imóveis e de eventual afetação a fins públicos. Ao todo, os imóveis somam 300 mil m². “Vários desses terrenos estão em áreas nobres da cidade e possuem elevado valor de mercado. E o prefeito Bruno Covas, para beneficiar o lucro das empresas que vivem da especulação imobiliária, simplesmente desmonta os serviços públicos”, afirmou o deputado Carlos, destacando que, além das duas escolas, serão vendidos prédios da Secretaria Municipal da Educação e de subprefeituras, bem como um centro de convivência para idosos.

Jornal Digital do Brasil

Jornal Digital do Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *