Participantes do Enem que fariam prova no Alub têm novo local de teste

Participantes do Enem que fariam prova no Alub têm novo local de teste

Participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que fariam a prova na unidade Guará do Colégio Alub, em Brasília, vão fazer o teste no Centro Educacional Nº 4 do Guará, conforme informou hoje (24) o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). 

Segundo o Inep, os 412 inscritos que fariam prova no Alub serão comunicados da mudança por e-mail e telefone, além de ter seu local de prova alterado no cartão de confirmação da inscrição e no aplicativo do Enem. As demais unidades do Colégio Alub não estavam na lista de locais de aplicação de provas do Enem 2019.

De acordo com o Inep, a mudança ocorreu para evitar dúvidas e insegurança entre os participantes. A autarquia diz ainda que a alteração no local de prova não acarretará prejuízo aos participantes, uma vez que o Centro Educacional Nº 4 do Guará tem a mesma configuração da instituição substituída. 

O Enem será realizado nos dias 3 e 10 de novembro, em 1.727 municípios. Cerca de 5,1 milhões de pessoas farão o exame em 14 mil locais de aplicação de provas.

Colégios fechados

A mudança ocorre devido a problemas financeiros enfrentados pelo colégio. No Distrito Federal (DF), seis escolas da rede de ensino Alub fecharam as portas e deixaram mais de 3 mil alunos sem aulas. 

Ontem (24), o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) organizou uma reunião com representantes da rede Alub, representantes de sindicatos de professores e de vários outros órgãos do DF ligados à educação, entre outros. Uma das principais preocupações é a transferência dos estudantes para outras escolas, para que terminem o ano letivo, e a disponibilização dos históricos escolares.

Segundo o MPDFT, o vice-diretor da rede, Rodrigo Aragão, disseque cerca de 75% dos estudantes pediram transferência para outras escolas. A rede Alub comprometeu-se a entregar as declarações dos alunos que ainda não receberam a documentação e a não cobrar multa pelas rescisões contratuais.

O MPDFT ressalta ainda que duas unidades da Rede Alub apresentavam situação irregular de credenciamento. Na Asa Norte, o funcionamento estava autorizado apenas até 31 de julho de 2019. A unidade do Gama estava com o credenciamento vencido desde 31 de julho de 2018.

O Ministério Público esclarece que, por lei, os pais e responsáveis pelos estudantes deveriam ter sido informados dessa situação para providenciar a transferência dos alunos para instituições regulares. A Secretaria de Educação do DF disponibiliza informações sobre a situação do credenciamento das escolas particulares na internet.

Edição: Nádia Franco
Jornal Digital do Brasil

Jornal Digital do Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *