Empresário suspeito de tráfico que ostentava na web é preso na Espanha

Empresário suspeito de tráfico que ostentava na web é preso na Espanha

Eduardo Cardoso, é dono da empresa de comércio exterior que atuava no Porto de Santos (SP), e foi apontado como integrante de uma organização criminosa.

O empresário Eduardo Oliveira Cardoso, de 43 anos, foi preso em Madri, na Espanha, nesta terça-feira (22), segundo informou a Polícia Federal. Ele era procurado por suspeita de participar do envio de pelo menos seis toneladas de cocaína à Europa por carregamentos no Porto de Santos, no litoral de São Paulo, e outros complexos brasileiros.

A Polícia Federal já tinha mandado de prisão preventiva para Cardoso desde a Operação Alba Vírus, que apreendeu mais de R$ 28 milhões em espécie, 10 carros de luxo, 26 caminhões e R$ 23 milhões em imóveis de alto padrão. Doze pessoas foram presas.

Segundo informações da PF, equipes que atuam em Santos identificaram que a empresa dele na Espanha participaria de uma feira de alimentos em Madri, nessa semana. O empresário estava fora do Brasil desde 14 de julho de 2019.

As informações foram repassadas para as autoridades espanholas, que efetivaram a prisão de Cardoso, apontado como integrante da quadrilha que foi desarticulada durante a operação Alba vírus. Em nota, a PF informou que ele está preso na Espanha até a efetividade da extradição para responder, no Brasil, ao processo penal por Tráfico Internacional de Entorpecentes.

Stand de empresa de Eduardo foi montado em evento em Madri — Foto: Divulgação/Polícia Federal

Investigação

Durante as investigações, Cardoso apareceu em um vídeo divulgado pela PF conferindo a ocultação de tabletes de cocaína em uma carga de congelados. A gravação ocorreu no final de 2018 em um galpão da empresa, localizado na Grande São Paulo, e o carregamento foi despachado por Paranaguá (PR).

O vídeo, segundo a delegada federal Fabiana Lopes Salgado, responsável pelas investigações, servia como um comprovante do serviço de venda e transporte da droga aos recebedores na Europa. Eduardo Cardoso se identifica como CEO da Broker, fundada em 2002 e que tem sede administrativa em um edifício em área nobre em Santos (SP).

A maneira como a cocaína foi escondida chamou a atenção da Polícia Federal para um carregamentode 1,4 tonelada de cocaína encontrada em julho deste ano, no Porto de Santos, da mesma maneira: escondida em meio à carga de frango em contêineres frigoríficos. A empresa de Eduardo também estava envolvida no despacho desta carga.

Nas redes sociais, o empresário mantém publicações que mostram a vida de alto padrão que mantinha e sobre bastidores do trabalho, inclusive compartilhou fotos do mesmo galpão de onde foi filmado na ocasião da ocultação da droga. Em uma postagens, o investigado destaca ainda ações beneficentes, como doações feitas a entidades.

Ele mora em São Paulo e os endereços dele foram alvos de mandados de busca e apreensão, autorizados pela 5ª Vara Federal de Santos, no âmbito da operação.

Tabletes de cocaína em carga de fígado de frango no Porto de Santos, SP — Foto: Divulgação/Receita Federal

Alba Vírus

A Operação Alba Vírus, que significa veneno branco em latim, é realizada no litoral paulista contra o uso de portos brasileiros para o tráfico internacional de drogas. Já foram cumpridos diversos mandados de busca e apreensão em São Paulo, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul e Bahia, e mandados de prisão temporária. Todas as ordens foram autorizadas pela 5ª Vara Federal de Santos em julho.

Jornal Digital do Brasil

Jornal Digital do Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *